quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Marry me


 

«Maria veio buscar-me à noite e perguntou-me se eu queria casar com ela.»

(Albert Camus, O Estrangeiro)

 

Continuação…

 

Andei um quarto de hora pela sala e finalmente perguntei-lhe se seria para sempre. Disse-me que assim o desejava. Pedi-lhe que aguardasse mais um pouco e fui à arrecadação. De lá trouxe a AK47 há muito esquecida e voltei para junto dela. Parei bem no centro do tapete onde a amei pela primeira vez e pedi-lhe que se juntasse a mim. Assim o fez. Voltei a perguntar-lhe se queria mesmo estar casada comigo para sempre. Respondeu que não tinha a menor dúvida. E pum matei-a. Escorria sangue por toda sala, mas isso não tinha a menor importância, pois agora ela realizara o seu sonho. Para mim, isto sim é casar com romantismo.

 

Katya Figueiredo

Sem comentários:

Enviar um comentário