segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Estranho Olhar Azul







 

Observo desconfiada o jeito com que me olhas
Mesmo a uma distância considerável,
Sinto a tua sede de tanto sal que consomes
Essas tuas mãos brancas e espumosas
Que se espreguiçam até mim
E rebentam num estalido suave
Como quem fala para mim
Sei que estás louco por me ver banhar em ti
Fazendo-me relaxar e as forças libertar
Então sem remorso nenhum sentir
Em tuas profundezas arrastar-me-ás
Ignoro-te, mas deixo-me seduzir pelo teu cheiro
E facilmente perder-me-ia no azul dos teus olhos,
Mas lembras-me o mar.
Katya Figueiredo

Sem comentários:

Enviar um comentário